Blog Ivan Joias-- Não foi possível exibir os dados --

blog-image

História das Alianças

A aliança de casamento é usada por diversas culturas como uma forma de demonstrar o compromisso entre um casal. No entanto, inicialmente ela era vista como um certificado de “propriedade” do noivo sobre a noiva, demonstrando que ela já não estava mais disponível para ser cortejada por outros pretendentes.
 
Vinda dos gregos e romanos, a partir de uma influência hindu, a tradição das alianças já era ser usada no quarto dedo da mão esquerda. Isso porque os romanos acreditavam que nesse dedo passava uma veia, denominada “d’amore”, que estaria diretamente ligada ao coração. Representando, assim, o amor presente na união.
 
Já na cultura chinesa, existe uma explicação ainda mais bonita para o uso da aliança nesse dedo. Os chineses deram a cada dedo da mão um significado familiar, o polegar representaria os pais, o indicador os irmãos, o médio (o quarto dedo) você mesmo e o mínimo os filhos.
 
Ao unir os dedos de duas mãos pelas pontas, com dedos do meio dobrados um de frente para o outro,  e tentar separá-los é possível separar todos os dedos, menos os dedos anelares. Isso significa que não viveremos com nossos pais a vida inteira; que os irmãos seguirão seus próprios caminhos (assim como os filhos), mas um casal, ao se comprometer, deve permanecer unido para a vida toda. Além disso, por ser uma jóia circular (sem começo ou fim), demonstra que a união do casal é algo eterno.
 
Hoje existem vários modelos para os noivos escolherem. Entre elas estão: as tradicionais em ouro amarelo e sem detalhes; as anatômicas que podem ser feitas de diversos materiais e modelos, mas seu diferencial é que é moldada para que encaixe perfeitamente no dedo, as tornando mais confortáveis; as alianças anatômicas que são modelos mais quadrados; as de platina, que estão novamente na moda e as alianças de ouro nobre, que tem um tom discreto entre o ouro branco e o amarelo.
 
Fonte: Blog da Márcia - http://www.marciapimentel.blog.br/

22 DEZ 2014 IVAN JOIAS 0

Comentários

Deixe um comentário